English ou Português? O desafio dos pais brasileiros nos EUA

Um dos maiores desafios para os pais que decidem morar nos EUA ou pais brasileiros que já moram e decidem ter um filho é: Como será a alfabetização da criança? Inglês ou português?

Obviamente que morando no país, as crianças vão frequentar escolas americanas e consequentemente vão falar inglês a maior parte do tempo, mas e em casa? Qual das línguas adotar? Falar duas línguas vai confundir a criança? A criança vai esquecer ou não aprender a língua materna?

São tantas dúvidas que as vezes os pais não sabem nem por onde começar.

Existem duas situações, ou a criança vem alfabetizada em português e vai morar nos EUA ou a criança nasce lá e vai frequentar desde o Kindergarten já na língua inglesa.

Na primeira situação a língua inglesa é o problema. Nos primeiros meses, é comum que a dificuldade seja o relacionamento com os novos coleguinhas de sala e com os professores, tanto por causa da língua, quanto por causa da diferença cultural. Em muitos estados americanos, principalmente naqueles que tem uma grande quantidade de imigrantes existe um programa chamado ESOL. No programa os alunos que não são fluentes em inglês têm aulas de reforço com um professor que fala sua língua nativa para melhor adaptar a criança. Nesse meio tempo são feitos testes (que vão de 1 a 5) para medir a fluência do inglês. Quando o aluno atinge o nível 3, já está apto a ler e entender inglês e não precisa mais do professor auxiliar.

Crianças tem muita facilidade de adaptação e de aprender novos idiomas, por isso geralmente depois de três meses a língua inglesa já não é um desafio tão grande.

Na segunda situação a língua portuguesa pode se tornar um problema.

Como a criança já tem um contato grande com a língua inglesa desde pequeno, a alfabetização em português pode não ocorrer. Mesmo que os pais brasileiros só falem em português com os filhos em casa, a grafia e o desenvolvimento de linguagem pode e deve ser incentivado pelos pais.

Existem tutores brasileiros em praticamente todos os estados americanos.

Seria como se seu filho estivesse aprendendo uma segunda língua.

Quando a criança entra na escola para ser alfabetizada em inglês, ela tem bastante conhecimento da língua materna, pois convive diariamente com a língua. Mas depois de um tempo ela acaba “esquecendo” algumas palavras e expressões que não são muito utilizadas. Muitas crianças entendem tudo o que os pais brasileiros falam, mas acabam utilizando o inglês para falar e escrever por ser a língua do dia-a-dia e pelo fato dos pais entenderem o que elas falam.

As escolas nos estados unidos se dividem em 12 anos de estudos.

– O Preschool ou Daycare é equivalente ao jardim de infância, mas não são obrigatórios.

– Elementary School, a criança precisa ter pelo menos 5 ou 6 anos de idade e vai da 1ª a 5ª série. Equivale ao nosso Ensino Fundamental.

– Middle School, vai da 6ª a 8ª série e é nosso Fundamental dois.

– High School é nosso ensino médio e tem duração de 4 anos (9 a 12ª ano)

Além das aulas obrigatórias como inglês, matemática, ciências, história, educação física, é ensinada uma língua estrangeira (geralmente francês ou espanhol), o aluno pode escolher matérias optativas que vão desde artes e teatro até educação técnica.

E qual q idade certa para ensinar português para seus filhos, de maneira que não interfira no aprendizado escolar?

Gosto de fazer a comparação de que crianças são como HD de computadores vazios, e quando vão aprendendo vão enchendo aquelas pastas com conhecimentos. Por isso é muito mais fácil para os pequenos aprenderem e se adaptarem. Não existe uma idade ideal para ensinar o seu filho. Mas é importante que a criança conheça a língua materna, até para que possa se comunicar com parentes que não moram nos EUA ou quando forem visitar o Brasil consigam não só se comunicar sozinhas, como entender expressões não traduzíveis e a cultura do seu país.

Se os pais já se comunicam com os filhos em português, é importante também que ensinem a grafia das palavras, especialmente as especiais como cedilha, acentos que não existem na língua inglesa.

A leitura de livros em português ajuda muito.

O importante é que o diálogo de pais e filhos seja sempre aberto e que a criança não se sinta obrigada a aprender, mas veja isso como uma forma de aproximação com os pais e com o país de origem.